Brasil é o alvo preferido de cibercriminosos no mundo



Estudo da Kaspersky revelou que o Brasil é o principal alvo dos cibercrimonosos no mundo. De janeiro a setembro de 2020 foram efetivados quase 5 mil ataques diários de Ransomware (sequestro de dados) no mundo, destes cerca de 2300 tiveram como alvo empresas no Brasil.


Com o avanço da pandemia, de uma hora para outra, as empresas implantaram o home office sem ter muita estrutura de segurança. A maior parte usa conexões RDP do Windows (Windows Remote Desktop), que pode apresentar falhas, e que muitas empresas demoram a aplicar as correções. Para se ter uma ideia, as tentativas de ataques de força bruta (quebra de senha) contra RDPs no Brasil chegou a ser seis vezes maior que no ano passado.


Outro fator crítico está em usuários com sistemas operacionais descontinuados, como o Windows 7, por exemplo. A ausência de atualizações deixa o sistema vulnerável. Na América Latina 55% dos computadores ainda usam Windows 7 e 5% usam o Windows XP.

A motivação dos ataques é sempre financeira, pois os hackers sequestram os dados e cobram pelo resgate, porém, dos que pagam o resgate, 38% não recebem as chaves de criptografia.


Os ataques também estão mudando, antes eram realizados em massa e agora são orquestrados e sofisticados. Em muitos casos, os cibercriminosos ficam meses estudando o ambiente sem ser percebidos. O objetivo é atingir dados realmente importantes, por exemplo, após a aprovação da LGPD, tivemos casos em que os cibercriminosos ameaçaram divulgar bases de dados sensíveis nas redes, expondo a empresa e os clientes. Existem grupos que, quando percebem que o alvo está tentando recuperar backups, chegam a telefonar para a empresa e fazer ameaças.


O cenário é assustador e reforça a necessidade de estruturas mais seguras para armazenar informações empresariais. Nesse sentido, manter as informações seguras em servidores “dentro de casa” custa muito mais caro e a nuvem surge como a melhor alternativa. Negócios de todos os tamanhos estão investindo na segurança que a nuvem oferece para conectar unidades e home office com maior segurança.


Em nossa rotina, são comuns histórias de clientes que só migraram para a nuvem após passar por um ataque, muitos sofreram apenas um susto, mas outros, infelizmente sofreram perdas. Em nuvem, os dados são protegidos por camadas adicionais de segurança, que facilitam a detecção e neutralização de ameaças, além disso, instâncias de contingencia e backups podem ser acionadas, evitando interrupções que possam afetar a operação.


Fonte: O Globo



17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo